Lixo e sarcasmo

Ontem eu estava caminhando pela Seara que me viu nascer, mais especificamente pela rua Beira Rio, 'viajando' em pensamentos sobre 'revitalização' do passeio público onde eu estava: "Bá, legal os baquinhos de madeira, o próprio deck é interessante, mas não me parece harmônico esse negócio". Quando avisto uma mulher toda de branco em minha frete. "Assombração", pensei, mesmo porque ela não era tão bonita quanto a Derci Gonçalves. Enfim, o importante é que ela estava 'socando' um sanduíche goela a baixo. Logo eu duvidei que uma boca pudesse comportar meio pãozinho daqueles. Estava errado. Mas isso também não é o importante da história. O que chamou minha atenção, não fora a brancura, a feiúra e o bocão da Derci Cover, foi o papel do sanduíche, que ela jogou no rio Caçador, sem hesitar. E olha que eu estava há um passo dela, ou seja, no movimento que ela fez pra jogar o papel, poderia ter me acertado. Tudo bem, eu admito, as vezes eu jogo o lixo no lugar errado, de preguiça, mas se tem alguém vendo eu fico com vergonha e ajo de forma ecologicamente correta.

Agora eu pergunto: que vergonha vai ter uma mulher daquelas que sai na rua daquele jeito, com aquela cara e com toda aquela educação? Nenhuma. Aí eu pensei comigo, "Puts, mas não tem nenhuma lixeira nessa linda rua revitalizada". Pois é, não tem. Pois é. Talvez as lixeiras passassem uma imagem "não-revitalizada". Sei que esquecimento não foi, porque eu, pessoalmente conversei com o responsável pelo projeto e como resposta: "pois é, mas já estão orçados todos os materiais... blábláblá". Todos não né, faltam às lixeiras. Passo ante passo: primeiro a beleza da rua, depois a consciência ambiental.

Apesar dessa senhora de branco não existir, ela existe nas nossas atitudes. Não é porque não há lixeiras que vou jogar o lixo em qualquer lugar. Ué, posso guardar o papel do sanduíche no bolso até encontrar uma lixeira. Posso escrever uma carta para os jornais criticando o descaso com o meio ambiente. Pouco adianta um mutirão para limpeza do rio, se não limparmos as nossas cabeças, lugar de lixo é no lixo.

Comentários

a índia disse…
Procuro saber as novidades dos blogs que "julgo" interessante... E aqui está! Um ótimo depoimento que merece ser lembrado e repassado adiante! Não vou julgar de quem é o erro... O que importa é resolver o problema!

Passamos uma semana inteirinha falando sobre consciência ambiental, medidas cabíveis e blá, blá, blá...

Bom, vou me empenhar para resolver isto, afinal, sou representante!!!
Fico feliz em saber que está preocupado e atento as necessidades do município! É um orgulho para os jornalistas! hehehe

Beijos Glauco e obrigada pela dica, é assim que percebemos a importância deste espaço... Não só para as novidades! Mas para a CONSCIÊNCIA!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Itá terá a maior tirolesa da América Latina

Uma cicatriz na alma

Editorial “Tempo, esse devorador de coisas”