Imoral e oportunista

Juntos somos dois

Dediquei muito a ela e nada recebi em troca,
De galho em galho, ela sempre dá uma passadinha no meu,
Mas não fica.
Fino demais, ela diz.
Curto demais, ela especula.
Muito verde, ela aponta.
Que flores são essas?, ela desdenha.
Temos algo especial sem a necessidade de um compromisso, ela enrola.
Pode ficar com os frutos, estou de regime.
Ela rejeita toda a forma de amor, o que não quer dizer que não seja carinhosa.
"Tó, usa, mas depois me dá outra se não eu fico sem" (a camisinha).
Ela é assim.
Nosso relacionamento aberto não é coisa de orkut,
Cada um segue o caminho que bem entende,
Eles só se cruzam algumas vezes.
VAI TOMAR NO CU!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Itá terá a maior tirolesa da América Latina

Uma cicatriz na alma

Editorial “Tempo, esse devorador de coisas”