Não uso óculos

Hoje eu queria ter de novo aquele velho par de lentes que deve estar empoeirado. Vesti-lo e ficar cego. E nada ver. Descansar os olhos. Porque desta vez, eu vejo tudo com a clareza indesejada do fim. Vejo os detalhes das manchas que ficaram em mim.
Não quero limpar as lentes dessa vez. Já não estou mais encantado pela armação, nem pelas lentes. Felizmente minha visão é perfeita. Mas um óculos de sol cairia bem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Itá terá a maior tirolesa da América Latina

Uma cicatriz na alma

Editorial “Tempo, esse devorador de coisas”