- Você deve gostar mesmo dela para fazer tudo isso.
- Não, só gosto de tê-la por perto.
- É solidão então?
- Também, mas eu acho que tem haver com os lábios dela.
- Tá, explica.
- Não dá, é assim que ela é. É assim que eles são.
- ... então você gosta dos lábios dela?
- E das mancadas dela. Ela tem o dom de ser inconveniente e de cometer gafes.
- Isso eu já tinha percebido, ela é bem expontânea né.
- E tímida. E carinhosa.
- Ah então você gosta dela.
- Já disse que não. Não é algo complicado assim. É bem mais simples.
- Pode ser simples de sentir, mas você não tá conseguindo explicar direito.
- Acho que agora você entendeu.
- Hã?

Comentários

Anônimo disse…
Não sei explicar o motivo, mas isso realmente chama a minha atenção, não tem uma vez que entre aqui e não leia!

Postagens mais visitadas deste blog

Itá terá a maior tirolesa da América Latina

Uma cicatriz na alma

Editorial “Tempo, esse devorador de coisas”