Postagens

Mostrando postagens de 2012

A simplicidade que conquista

Imagem
Sempre fui adepto da simplicidade. Seja em layouts de internet, de jornal, de fotografias, de mensagens, de publicidades, de propagandas e da vida. O exemplo mais presente são os cartazes compartilhados aos milhares nas redes sociais da série “Keep calm”, “mantenha-se calmo”. Hoje quero compartilhar um pouco da história.
Meu favorito A origem dos cartazes
Em 1939, quando a Inglaterra decidiu apoiar as tropas aliadas para enfrentar Hitler e o exército alemão, o governo britânico teve uma ideia original: mandou imprimir três cartazes com mensagens de incentivo à população. A ideia passava por tentar apaziguar os habitantes das zonas de maior conflito e transmitir um sentimento de esperança na futura vitória. Os cartazes foram produzidos segundo a mesma linha. Tinham duas cores, uma frase e a coroa do rei de então, Jorge VI. O primeiro exemplar revelava “Your courage, your cheerfulness, your resolution, Will bring us Victory”/ “A sua coragem, alegria e determinação vão levar-nos à vitória”. …

Uma cicatriz na alma

Imagem
Nesse momento estou com o rosto franzido, com o coração apertado e com os olhos cheios de lágrimas. Memórias tristes impõem-se. Demorei uns 10 minutos para escrever esta frase e ainda assim meu rosto continua franzido por inteiro. O Projeto Cicatriz (Scar Project) é realmente uma obra de arte. A série de fotografias de sobreviventes de câncer de mama, tiradas pelo fotógrafo David Jay, são impactantes. Jovens mastectomizadas expõem as cicatrizes da guerra contra a doença. Lembro de alguém me dizendo que a arte quer despertar algum sentimento, quer mexer com o público. As vezes rir, as vezes chorar. Simplesmente sentir algo. Neste caso, me fez franzir o rosto como sinal de uma dor mais profunda.
A campanha tem o objetivo principal de "colocar um rosto", cru e inabalável no Câncer. Pagando assim, um merecido tributo à coragem e espírito de tantas mulheres corajosas. Mas a missão do fotógrafo é tripla: aumentar a consciência pública, angariar fundos para a pesquisa e para program…
To com um caroço na garganta.
Rimaria mais se fosse no pescoço.
Mas nem sempre as coisas são como queremos.
As vezes sim.


Não me manda pra missa, vó

Imagem
O espetáculo da alienação religiosa invade a web. “Saias modestas” e “namoro cristão”. Antes de ler minha opinião, acesse http://namorocatolico.com.br/ e http://www.modaemodestia.com.br/ para então continuar o texto. Clicou? Leu? Tem uma ideia formada sobre? Ok, lá vou eu. Retrocesso. Conformismo. Submissão. Ah, deixa pra lá. A mulher pode trabalhar, votar, tomar a pílula, usar camisinha, usar sutiã e usar saias folgadas até os tornozelos.  Pode, se quiser.
“Uma vez que nos damos conta de que a calça é própria para o homem e a saia para a mulher – pelo menos numa sociedade onde a dualidade sexual é vista como algo bom, querida pelo Criador e que merece ser valorizada – fica mais fácil deixarmos de lado esta peça para nos encantarmos pelas saias longas e modestas” (Por Julie Maria em http://www.modaemodestia.com.br/index.php/artigos/moda-modestia/calcafeminina).
Modestas, neste trecho do texto de Julie Maria, significa até os tornozelos. E dualidade sexual quer dizer que azul é de menino…

Editorial “Tempo, esse devorador de coisas”

Já dizia o poeta Ovídio, o tempo apaga tudo. E a atual situação dos agricultores do oeste é uma mera questão de “tempo”, nos dois sentidos da palavra: meteorológico e cronológico. É fato notório que nos últimos 12 anos, o oeste de Santa Catarina foi atingido por oito estiagens. Quis o “tempo” que não chovesse e quis o outro “tempo” que nos esquecêssemos do que já havia acontecido.  Uma portaria do Governo Federal prevê uma linha de crédito de R$ 12 mil para cada família nordestina atingida pela seca, com 1% de juro e até 10 anos para o pagamento. Porque não ampliar essa portaria? Quem precisa mais? Uma questão geográfica e histórica talvez aponte para o nordeste, mas o sul responde, pela voz dos agricultores: “Somos as mãos que alimentam o Brasil”. 
Agora a situação de emergência pede urgência. Urgência de recursos para minimizar os efeitos da pior estiagem já vista pelo Estado e para planejar uma melhor maneira de sobreviver às próximas. E é preciso resolver agora, porque depois, será …
Imagem
Nasce uma promessa A maternidade pode mudar completamente a cabeça de uma mãe
Matheus nasceu com 2,7 kg, cabelo e olhos escuros. Uma nova vida sempre traz alegria e esperança, mas para esta mãe, Salvadora, trouxe também a fé de que um futuro melhor é possível. A personagem desta história é uma mãe atípica em certos aspectos, mas também é tradicional e resguardada em outros, principalmente no amor incondicional ao filho. Amor que transparece nas trocas de carinho e sorrisos com Matheus (nome fictício). Ele transporta a mãe para um lugar diferente das quatro paredes onde vivem. “Matheus está aí, dia-a-dia me dando forças para motivar minha mudança”, diz. Salvadora Cardoso, de 32 anos, cumpre pena no Presídio Regional de Chapecó (no bairro Santa Maria). Condenada a seis anos de reclusão, ela compartilha as alegrias e as angústias com a própria mãe, Mercedes, que também está presa. “Ser mãe no presídio dói. Saber que meu filho está aqui por um erro meu é algo que não tem descrição”, conta. E…

baby bird

Imagem

a ironia da coisa é o negócio

Imagem

Queda de caixa de água em escola de Chapecó

Uma caixa de água caiu na manhã da sexta-feira, dia 16, na Escola Fedelino Machado dos Santos no bairro Tiago, região da grande Efapi. A caixa de água ficava no espaço interno da escola onde circulam as crianças. O que levanta a preocupação com o bem estar dos alunos e professores da instituição. A escola tem cerca de 650 alunos e passou por uma reforma e ampliação em 2008.De acordo com a Secretária de Educação, Astrit Maria Savaris Tozzo, esse foi um incidente isolado. “Felizmente só houve danos materiais, nenhuma criança se feriu e as aulas continuam normalmente”, explica. A Secretária diz ainda que uma equipe já está resolvendo o problema.

Confrontos e contradições

Imagem
Casas irregulares são demolidas na Vila Páscoa e geram conflitos

Diolinda Martins, de 68 anos, foi surpreendida por volta das 6h da manhã da terça-feira, dia 6, por policiais que a mandavam sair de casa. Marcia Soares não sabia o que fazer quando viu os móveis da casa serem jogados para fora da casa. Manoel Andrade, de 30 anos, ficou chocado quando viu os quase 30 policiais em frente à casa da mãe. Luana Alves teme perder o teto sob o qual vive. Luiz Assis de Araujo partiu em defesa dos vizinhos da Vila Páscoa. Logo o teto de três casas estava no chão e os ânimos alterados. Alguns moradores entraram em choque com a Polícia.O Decreto Municipal nº 20.889, de 8 de junho de 2009, permite que casas estabelecidas em terrenos irregulares, há menos de um ano, sejam demolidas. Este é o caso de grande parte das residências da Vila Páscoa. Além de ser um terreno de propriedade da Administração Municipal, também é uma área de preservação ambiental permanente. “Eles foram notificados, prometeram de…

Piromania

Imagem
Minha avó estava contando, no último final de semana, as minhas manias de incendiário. Não é brincadeira, tive uma queda e tanto pelo elemento da destruição e renovação. Será que é porque sou leonino? Não, deve ser porque é perigoso. Segundo ela, e eu lembro vagamente, ateei fogo em quatro lugares da casa:
1) Em um calendário, que ficava pendurado sobre um butijão de gás;
2) No próximo calendário que substituiu o primeiro;
3) Em algumas bonecas de porcelana da minha mãe;
4) Atrás de um sofá (lugar onde eu costumava me esconder quando colocava fogo nas coisas);
Realmente não estava mentindo.

Light my fire.
"Sou do tempo que se ouvia música sem saber como era a cara do cantor. Gostava ou não da música".

Orelhas de burro

Isso não é um texto, é uma página virada. Escrita a lápis. Uma daquelas páginas de caderno da quarta série onde você separa a sílaba da palavra e volta pra ver onde parou, para continuar na próxima. Diferente das anteriores, você nem tentou apagar a palavra para ver se cabia. As primeiras estão cheias de borrões e palavras apertadinhas, mas essa que se foi, não. Separar as palavras e continuar também é certo. Dessa vez o tracinho ficou no lugar certo, no ladinho da palavra que, seguiu sozinha e desmembrada. Precisa treinar a caligrafia, mas o importante é que você, e mais ninguém, entenda. Isso vai ser útil quando, mais tarde, for anotar a senha do banco ou ainda, recados para o seu chefe. Ele vai precisar de você para decifrar o código. Sem falar que o seu colega pretencioso não vai te substituir. Por isso, anote tudo a mão. Nada de computadores. Mas porque estamos falando disso? Porque a página virou.

re-
começo.

Perfil

Imagem
Rolf Guenther Sprung, inventor do marketing socioambiental
Não sou comunista, socialista ou capitalista, acredito na divisão equilibrada de trabalho, tecnologia e preocupação com meio ambiente”, afirma Rolf.
Sabem quando dizem que a nossa casa fala muito sobre nós? Bem, o local de trabalho também. Na sala de espera da SOS Sustentar um mural de fotos já adianta detalhes da vida desse empreendedor de sucesso. Imagens de família, da agricultura familiar, da vida política e sindical deste idealista. Quando criança gostava dos filmes de bang bang americanos, das pequenas revoluções do velho oeste. Sobre sua cabeça, um quadro de Che Guevara.
Foto: Glauco Benetti Toda a trajetória de Rolf está documentada e exposta na empresa
Agricultor familiar natural de Blumenau, Rolf Guenther Sprung trabalhava com junta de bois e máquina pica-pau (plantadeira) na terra do pai. Concluiu o curso técnico de Construção Civil incentivado pelo chicote da mãe. Aos 16 anos trabalhou como auxiliar de despachante e em…
"todos os problemas dos meus amigos autodestrutivos têm origem amorosa. O reflexo no trabalho é inevitável. O efeito cascata termina nas e com as finanças. E mesmo os mendigos borram o pó do rosto (do asfalto) com lágrimas. E olha que nem conheço tanta gente assim" (autor: meu irmão).

Summer Soul Festival 2012

Imagem
Rox rock's
Bruno é de outro planeta
Florence é um ser mágico

Florianópolis - Quando cheguei em Jurerê Internacional encontrei uma fila em espiral com quase 500 pessoas. Isso sou eu quem diz e alerto que a lei da relatividade pode ter influenciado minha capacidade de mesurar o tamanho da fila. A ansiedade para ver Rox, Florence and The Machines e Bruno Mars também me fez visualizar apenas a porta de entrada da casa de shows. Desde que a cantora inglesa Rox subiu ao palco, faltando 15 minutos para as 23h, até a despedida de Bruno Mars, quatro horas depois, a edição catarinense do Summer Soul Festival foi uma experiência daquelas que se conta para os filhos quando as bandas acabam. Vestida de preto e com cabelos clareados, Rox estava impecável. A dama do jazz e sua banda atacavam com arranjos soul, pop e reggae. Ela cantou os sucessos “I Don't Believe” e “My baby left me", que já integrou a trilha sonora da novela brasileira, "Araguaia". A cantora também fez um cover …
"Esperar
sentimento é pior ainda"
"Esperar
ligação é pior que estômago vazio"